SP – Águas de São Pedro

Certa vez em Bragança Paulista encontramos algumas pessoas que nos questionavam por que faríamos o caminho mais longo para retornar à São Paulo, não havia como faze-los entender qual o prazer em sair pelas estradas e ainda mais quando compartilhado com amigos.

Este sábado novamente tivemos a oportunidade de fazer um passeio com amigos indo por rotas alternativas que aumentaram o trajeto em pelo 140 kms e algumas horas à mais de prazer e boas conversas, nosso destino : Águas de São Pedro, motivado por um típico prato da região, o Frango Atropelado, resolvemos atender à sugestão da esposa de nosso colega e esta boa amiga nos deu um excelente sábado que desfrutamos imensamente.

Lá fica o Grande Hotel São Pedro, hotel escola mantido pelo Senac, onde há banhos medicinais e um bom restaurante, embora tenhamos optado almoçar na avenida principal, onde encontraríamos o famoso Frango Atropelado, que já fio melhor, mas ainda é uma boa pedida para quem quer gastar pouco e comer bem, uma porção acompanhada de salada, polenta e batatas foi suficiente para fartar todos nós.

“E assim surgiu das possibilidades naturais latentes, mais um núcleo de cidade futura, daquele gênero que Jean Brunhes chamara de “cidade de vontade”, porque nunca surgiriam sem que alguém as sonhasse e pusesse a seguir toda sua vontade criadora no trabalho de transformar em realidade o seu sonho”.
Águas de São Pedro, 27 de fevereiro de 1.941 – Embaixador Josué de Castro (de uma página do “Álbum de Ouro” do Dr. Octavio Moura Andrade)

O município de Águas de São Pedro, localizado na Região Central do Estado, constitui o menor município do Brasil com 3,7 km² de área, projetado para ser uma estância voltada exclusivamente à saúde e ao lazer.

O descobrimento de suas águas minerais por volta de 1.920 ocorreu quando o Governo do Estado de São Paulo procedeu a pesquisas de petróleo no município de São Pedro. Como não logrou seu intento de achar jazidas do “ouro negro”, acabou por abandonar os poços que ficaram jorrando sem que ninguém se ocupasse de seu aproveitamento.

Em 1.934, Ângelo Franzim, em cujas terras se localizava a perfuração que produzia a água hoje conhecida como “Fonte da Juventude”, fez construir um balneário de tábuas, para se banhar naquelas águas “malcheirosas” que os animais procuravam beber. Em 1.935 comprou 100.000 m² ao redor dessa fonte e construiu um balneário de alvenaria com 12 banheiras. Foi também nesse ano que Octavio Moura Andrade resolveu implantar a Estância, a que provisoriamente denominou “Caldas de São Pedro”.

O município de Águas de São Pedro foi criado em 1.948, por proposta do então deputado estadual, depois Senador e Embaixador Auro Soares de Moura Andrade, filho de Antonio Joaquim de Moura Andrade.

Portanto, Águas de São Pedro nasceu já com suas características definidas e salubridade garantida por um projeto que assegurou a seus futuros moradores a melhor qualidade de vida disponível pela tecnologia da época e que continua atual.


Águas de São Pedro

[img src=http://www.passeiodemoto.net.br/wordpress/wp-content/flagallery/aguas-de-sao-pedro/thumbs/thumbs_dscf2534.jpg]3160
[img src=http://www.passeiodemoto.net.br/wordpress/wp-content/flagallery/aguas-de-sao-pedro/thumbs/thumbs_dscf2535.jpg]2790
[img src=http://www.passeiodemoto.net.br/wordpress/wp-content/flagallery/aguas-de-sao-pedro/thumbs/thumbs_dscf2536.jpg]2470
[img src=http://www.passeiodemoto.net.br/wordpress/wp-content/flagallery/aguas-de-sao-pedro/thumbs/thumbs_dscf2537.jpg]2340
[img src=http://www.passeiodemoto.net.br/wordpress/wp-content/flagallery/aguas-de-sao-pedro/thumbs/thumbs_dscf2538.jpg]2290
[img src=http://www.passeiodemoto.net.br/wordpress/wp-content/flagallery/aguas-de-sao-pedro/thumbs/thumbs_dscf2539.jpg]2280
[img src=http://www.passeiodemoto.net.br/wordpress/wp-content/flagallery/aguas-de-sao-pedro/thumbs/thumbs_dscf2540.jpg]2050
[img src=http://www.passeiodemoto.net.br/wordpress/wp-content/flagallery/aguas-de-sao-pedro/thumbs/thumbs_dscf2541.jpg]2050
[img src=http://www.passeiodemoto.net.br/wordpress/wp-content/flagallery/aguas-de-sao-pedro/thumbs/thumbs_dscf2542.jpg]1980
[img src=http://www.passeiodemoto.net.br/wordpress/wp-content/flagallery/aguas-de-sao-pedro/thumbs/thumbs_dscf2543.jpg]1780
[img src=http://www.passeiodemoto.net.br/wordpress/wp-content/flagallery/aguas-de-sao-pedro/thumbs/thumbs_dscf2544.jpg]1750
[img src=http://www.passeiodemoto.net.br/wordpress/wp-content/flagallery/aguas-de-sao-pedro/thumbs/thumbs_dscf2545.jpg]1820
[img src=http://www.passeiodemoto.net.br/wordpress/wp-content/flagallery/aguas-de-sao-pedro/thumbs/thumbs_dscf2546.jpg]1700
[img src=http://www.passeiodemoto.net.br/wordpress/wp-content/flagallery/aguas-de-sao-pedro/thumbs/thumbs_dscf2547.jpg]1860
[img src=http://www.passeiodemoto.net.br/wordpress/wp-content/flagallery/aguas-de-sao-pedro/thumbs/thumbs_dscf2548.jpg]1760
[img src=http://www.passeiodemoto.net.br/wordpress/wp-content/flagallery/aguas-de-sao-pedro/thumbs/thumbs_dscf2549.jpg]1840
[img src=http://www.passeiodemoto.net.br/wordpress/wp-content/flagallery/aguas-de-sao-pedro/thumbs/thumbs_dscf2551.jpg]1780
[img src=http://www.passeiodemoto.net.br/wordpress/wp-content/flagallery/aguas-de-sao-pedro/thumbs/thumbs_dscf2552.jpg]1780
[img src=http://www.passeiodemoto.net.br/wordpress/wp-content/flagallery/aguas-de-sao-pedro/thumbs/thumbs_dscf2553.jpg]1700
[img src=http://www.passeiodemoto.net.br/wordpress/wp-content/flagallery/aguas-de-sao-pedro/thumbs/thumbs_dscf2554.jpg]1650
[img src=http://www.passeiodemoto.net.br/wordpress/wp-content/flagallery/aguas-de-sao-pedro/thumbs/thumbs_dscf2555.jpg]1610
[img src=http://www.passeiodemoto.net.br/wordpress/wp-content/flagallery/aguas-de-sao-pedro/thumbs/thumbs_dscf2557.jpg]1870

Tecle no botão FS para visualizar em tela cheia.


Paradas para descanso
O trajeto foi projetado para propiciar boas horas sobre a moto desfrutando-se estradas cênicas e vicinais, ou pelo menos alternativas, após abandonar a Rod. Castelo Branco, não haverão muitas alternativas de paradas a não ser para um abastecimento e esticar um pouco as pernas.

O retorno se deu pela Rod. dos Bandeirantes e neste caso há várias opções como o Lago Azul, Graal 56 e Shopping Serra Azul.


Trajeto


Situação das estradas
As principais estradas deste trajeto, Rod. Castelo Branco, Marechal Rondom e Bandeirantes estão impecáveis, embora em alguns trechos ocorram pequenos congestionamentos devido à obras e tenham tráfego bastante intenso em determinados horários, principalmente próximo à São Paulo.

Já não podemos falar a mesma coisas nas demais estradas do percurso, onde o asfalto está bastante comprometido, não chegando a comprometer o passeio em boa velocidade de cruzeiro, mas merecendo uma certa atenção. A única exceção fica por conta do “Anel Viário de Piracicaba”, aquilo sim podemos dizer que é uma vergonha, onde se pratica um off-road sobre asfalto.


Pérola

Nunca andei tanto para comer um frango – By Chacon

Comments are closed