SP – Jaguariúna

A poucos quilometros da Capital, Jaguariuna é uma opção para um passeio descontraído, permitido até para motociclistas menos experientes, pois seu acesso é tranquilo e estradas não exigem muito preparo, embora hajam várias opções de trajeto com nível de desafio maior.

Explore as opções turísticas da cidade e curta uma boa refeição no Bar da Praia. Um dos atrativos locais é a Maria Fumaça que roda por uma autêntica via férrea do século XIX, nos finais de semana há alguns passeios entre Jaguariuna x Campinas partindo da Estação de Jaguariuna, restaurada em 1992 e transformada em centro cultural.


Ponto de Encontro
Shopping Serra Azul

Paradas para descanso
Não há necessidade de paradas intermediárias

Restaurante
Bastante conhecido na cidade, inclusive contanto com sinalização indicando como chegar, o Restaurante Bar da Praia é uma excelente opção na cidade. O carro chefe é o Camarão na Moranga que serve com tranquilidade a quatro pessoas, depois de degustar a casquinha de siri, tomar bons sucos em um ambiente agradável, se o tempo estiver bom opte pelas mesas externas sob as sombras das arvores são mais frescas e arejadas. Preço compatível e honesto não sentirá que pagou pelo que não vale.


Situação das estradas

Distância total do trajeto 136 kms.

A opção mais rápida é seguir pela Rod. dos Bandeirantes, Rod. D. Pedro I e pegue o acesso em direção a Holambra/Jaguariuna seguindo pela SP-340 até Jaguariuna, atenção dentro da cidade que há radares e oriente-se pelas placas indicando o Bar da Praia que podem ser vistas logo após passarem pela estação.

Não há o que dizer sobre a condição das estradas, são as melhores do estado de São Paulo, mas cuidado sempre é pouco, pricipalmente aos finais de semana por que normalmente estão com tráfego intenso e é normal cruzar com grupos de motociclistas, alguns com motos esportivas em alta velocidade.

Pontos de encontro e abastecimento

Não faltam boas opções de abastecimento e paradas, no entanto por este trajeto não é necessário planejar uma parada intermediária.

Comments are closed